Especialista propõe integração entre lavoura e pecuária

Salton falou aos acadêmicos de Agronomia e Medicina Veterinária
O gaúcho Julio Cesar Salton defende a integração da lavoura e da pecuária. Foi o palestrante do I Simpósio Integrado de Medicina Veterinária e Agronomia, da UNIGRAN, na tarde da última quinta-feira (29). Salton é formado pela Universidade de Passo Fundo, mestre e doutor pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e atualmente é pesquisador da Embrapa. Para ele, por meio dessa ação de unidade, é possível produzir alimentos em quantidade suficiente para atender à demanda do mercado, com boa qualidade e ainda melDATA_HORAr o meio ambiente. Os desafios dessa integração nortearam sua participação no Simpósio DECOM - Quais são os principais desafios para conciliar a lavoura e a pecuária no MS? SALTON - O primeiro deles é a informação. Tanto o agricultor quanto o pecuarista têm que estar informados das vantagens que uma atividade pode proporcionar à outra. Isso seria fundamental porque, muitas vezes, as pessoas, por desconhecerem as vantagens, os benefícios que podem obter, não têm interesse, desconhecem a tecnologia. Isso seria talvez, um dos primeiros problemas. Em segundo lugar, é claro, também é preciso ter reID_CURSOs, porque para o agricultor passar a adotar a pecuária, terá gastos, necessitará fazer investimentos. Da mesma forma, o pecuarista: para introduzir a agricultura, precisa de reID_CURSOs para cobrir esses investimentos. A formação de pessoal especializado para assessorar o produtor está acontecendo. Talvez isso hoje não seja um problema, como foi a um tempo atrás. Acho que seriam esses os principais desafios. DECOM – Em épocas de consciência ecológica, esse modelo propõe produção que não prejudica o meio ambiente? SALTON - Existe tecnologia disponível para produzir seja carne, grãos, ou mesmo cana, açúcar ou álcool, preservando o ambiente. No caso específico da integração lavoura/pecuária, além de preservar, nós podemos melDATA_HORAr o ambiente através desse sistema de produção. É algo fantástico você produzir alimentos de qualidade e melDATA_HORAr o ambiente. Como isso acontece? Com sequestro de carbono, que é uma realidade nesse sistema integração de lavoura/pecuária. O carbono que está na atmosfera, proporcionando o efeito estufa, passa a ser armazenado dentro do solo. Uma contribuição que o produtor pode oferecer à sociedade como conseqüência do uso dessa prática correta. Pode haver benefícios, é uma das formas possíveis de recompensar o planeta, mas o importante, agora, é produzir alimento sadio em quantidade e qualidade para alimentar a população. DECOM - O senhor declara que o brasileiro está comendo mais. O aumento do volume de consumo de alimentos força o país a procurar novas tecnologias e a aumentar a produção de alimentos. Essa integração de agricultura e pecuária permite isso? SALTON – Felizmente a população está se alimentando melhor e, para atender a essa demanda toda do mercado interno e para continuar a exportação para obter os saldo comerciais, tem que ter produto, volume de produção. O mais interessante é que, para aumentar essa produção, não necessita obrigatoriamente aumentar o desmatamento. Podemos dobrar, triplicar a produção de carne, especialmente a pecuária, sem derrubar uma árvore sequer, apena s integrando com a agricultura. Então, a força dessa tecnologia é espetacular porque pode atender a demanda de produção e não requer a expansão de áreas. Nas áreas já produtivas, a produção pecuária que temos hoje é de uma média muito baixa. Há um potencial espetacular para aumentar a produção. DECOM – A proposta de integração desses dois setores produtivos não é nova. Será que agora o Brasil finalmente abre perspectivas para que ela seja adotada com maior consistência na cadeia de produção? SALTON – [A proposta] não é nova, o que é novo é a forma como ela está sendo proposta, que é tendo como base o sistema plantio direto. Não se remexe, não se revolve a terra. Para passar da agricultura para a pecuária, há dessecação e fazem a plantação direta. Ganha-se tempo, economiza-se dinheiro e é um sistema muito mais eficiente. A proposta do Brasil nas convenções de mudanças climáticas levadas a Estocolmo, para redução de emissão dos gases do efeito estufa, tem como base a agricultura e está na integração lavoura /pecuária. O grande impacto que a proposta tem estaria baseado nisso e passa a ser uma questão de governo cumprir esse compromisso. Se ele não incentivar a adoção dessa tecnologia pelos produtores, não cumpre. Temos que ser mais otimistas ainda. Para adotar a integração há dificuldades, tem prazo para amadurecer, até que passe a fazer parte da mentalidade do produtor. DECOM – Essa aproximação do tema com o meio acadêmico faz parte dessa estratégia para difusão da proposta? SALTON - Se o produtor estiver ávido por adotar essa tecnologia, mas não contar com apoio profissional , que tenha essa habilidade, não tem jeito.(CM)

UNIGRAN - Centro Universitário da Grande Dourados
FONE: (67) 3411-4141 / Fax: (67) 3411-4167
Rua Balbina de Matos, 2121 - Jd. Universitário
CEP: 79.824-900 - Dourados/MS
Todos os Direitos Reservados

Baixe os apps Unigran