26/09/2019 Atualizado há 7 mes(es)

5 séries para quem estuda Psicologia ou ama essa área

Em qualquer série ou filme que assistimos é possível encontrar assuntos psicológicos e analisar as questões do ponto de vista da Psicologia. Entretanto, em algumas séries, esses temas são ainda mais evidentes, fazendo parte do enredo e da narrativa dos personagens. 

Separamos 5 séries disponíveis na Netflix para quem gosta desse assunto maratonar e assistir com olhos mais atentos aos assuntos da Psicologia. 

É claro que as séries são produtos para entretenimento e tomam liberdades diversas. Não podemos perder esse foco, pois não são documentários destinados a tratar de psicologia. Porém, nos fazem refletir sobre o ser humano e a realidade em que vivemos. 

Além das 5 séries que listamos, existem centenas de séries e de filmes que poderiam ser mencionadas. E você? qual outra série indica para quem ama Psicologia? 

Conheça o curso de Psicologia na Unigran Capital e inscreva-se no Vestibular 2020.

1. Maniac (Netflix, 2018)

A primeira temporada foi disponibilizada pela Netflix e tem nomes famosos no elenco: Annie (Emma Stone) e Owen (Jonah Hill). Na série, Owen é um jovem rico e esquizofrênico e Annie tem uma vida marcada por problemas familiares. Eles se aproximam durante o teste de um novo medicamento.O objetivo da experiência é compreender a mente humana para evitar qualquer tipo de dor, misturando fantasia e realidade. 

Na experiência, eles se juntam a um pequeno grupo de pessoas, que fazem parte do experimento. O teste é controlado por um médico com problemas familiares, principalmente traumas maternos, e um computador que expressa emoções.

Entre os temas abordados estão a esquizofrenia, de Owen. Ele não consegue distinguir a realidade da fantasia e acredita que está prestes a ser convocado em numa missão secreta. Já Annie é viciada em um medicamento alucinógeno e não consegue superar um trauma do passado. 

2. BoJack Horseman (Netflix, 2014 - )

É desenho, mas não é coisa de criança. BoJack Horseman é uma série de animação adulta de comédia dramática que já está na 5ª temporada. A série é ambientada em uma realidade onde pessoas e animais antropomórficos vivem lado a lado.

A série faz uma sátira à indústria do entretenimento, mostrando a vida decadente da estrela de Hollywood, BoJack Horseman. O tema é tratado com perspectivas satíricas e também filosóficas.

Em seus episódios, a série aborda assuntos como solidão, traumas, vício em remédios, álcool, depressão, comportamento autodestrutivo, baixa autoestima, racismo, sexismo e a condição humana. O personagem principal e os demais foram evoluindo ao longo das temporadas com seus dramas e tentando melhorar a vida.

3. Mindhunter (Netflix 2017 - )

A série é baseada no livro Mindhunter: O Primeiro Caçador de Serial Killers Americano, de John Douglas. A primeira temporada da série foi ambientada no fim dos anos de 1970 e mostra o início do o departamento de análise comportamental e psicologia criminalística do FBI - Departamento Federal de Investigação. 

A história acompanha o agente do FBI, Holden Ford que vai trabalhar com o veterano Bill Tench. Os dois começam um projeto para estudar uma nova categoria de criminosos, classificados como "assassinos sequenciais". 

As identidades são fictícias, porém, baseadas nos agentes John E. Douglas e Robert Ressler. Ele trabalharam na unidade de elite contra assassinos em série do FBI e foi Ressler que cunhou o termo serial killer, nos anos 70. 

Na unidade de análise comportamental e psicologia criminalística eles passaram a entrevistar assassinos com para enriquecer a técnica do perfil criminal ao armazenar dados colhidos diretamente com os criminosos. 

Na segunda temporada, disponibilizada em 2019, a série se passa em 1980 e acompanha alguns dos crimes mais famosos da década como Charles Manson e "Atlanta Child Murders", assassinatos ocorridos entre 1979-1981, em que 24 crianças foram mortas. 

A série é elogiada e possui caracterizações de serial killers e detalhes de tragédias notórias. 

4. Atypical (Netflix, 2019 - )

Atypical está em sua terceira temporada e acompanha a vida de Sam, um jovem diagnosticado com Transtorno do Espectro Autista (TEA) de alta funcionalidade, em suas descobertas, sonhos e dificuldades. Ele decide encontrar uma namorada e tem que se adaptar à algumas regras sociais e entender um universo diferente daquele em que vive. 

A trama da série é mostrar os problemas típicos da adolescência, como namoro e amizades, mas com o protagonista que possui uma condição neurobiológica. 

O mérito é mostrar como as pessoas com Transtorno do Espectro Autista veem e sentem o mundo. Além das relações de descoberta de Sam, também é mostrada a jornada da sua família. O Transtorno do Espectro Autista é tratado de forma séria, mas de uma maneira leve. 

O Transtorno do Espectro Autista engloba diferentes condições. Entre elas estão a dificuldade de comunicação, dificuldade de socialização e padrão de comportamento restritivo e repetitivo. Na série, essas condições não são mostradas de forma estereotipadas. 

Vale lembrar que o Transtorno do Espectro Autista envolve situações muito diferentes de pessoa para pessoa e em menor ou maior grau estão relacionadas, com as dificuldades de comunicação e relacionamento social.

5. Black Mirror (Netflix, 2011- )

Black Mirror é uma das séries mais comentadas dos últimos anos e aborda uma infinidade de temas contemporâneos. A Netflix classifica como “série antológica de ficção científica explora um futuro próximo onde a natureza humana e a tecnologia de ponta entram em um perigoso conflito”.

Isso é muito Black Mirror! virou a frase de uma geração que vê as situações apresentadas em Black Mirror como ficção, mas nem tanto. 

A série está na quinta temporada e cada episódio narra uma história diferente. Em comum, ela aborda o impacto da tecnologia na vida das pessoas com foco especial nas redes sociais e no controle das pessoas. É impossível não refletir sobre os efeitos de cada tela que nos acompanha diariamente. Para quem estuda ou gosta de Análise do Comportamento, a série é um prato cheio.

PSICOLOGIA