02/08/2013 07:36

Professora de Enfermagem dá dicas e cuidados com a saúde em tempo seco

Tempo seco

Com a umidade relativa do ar baixa a incidência de doenças respiratórias aumenta

Como a temperatura nos últimos dias em Dourados vem oscilando e a umidade relativa do ar está baixa, cerca de 30%, as pessoas devem tomar cuidados extras com a saúde. Em casa, deve-se evitar qualquer tipo de contato com objetos que possam causar processos alérgicos, por exemplo, tapetes, cortinas.

A professora do curso de Enfermagem da UNIGRAN, Viviane Carrasco, explica que “o ambiente deve estar mais arejado, com bastante ventilação. Preferencialmente se a pessoa puder ter disponível um umidificador de ar é excelente. Caso não tenha um aparelho, é indicado que as pessoas utilizem baldes d’água, panos umedecidos espalhados pela casa, isso tudo para evitar que o ambiente fique mais seco, que facilita os processos infecciosos e inflamatórios do sistema respiratório”.

Ocorrendo irritação de nariz ou garganta, a pessoa deve procurar ir ao médico. Hoje com a gama de patologias que tem se desenvolvido, inclusive a H1N1, não pode descartar caso a pessoa tenha uma leve coriza, febre ou um mal estar geral; as pessoas acham que pode ser um simples resfriado. “O correto é procurar o médico. Pode ser só um processo alérgico, mesmo assim a pessoa não pode se automedicar. Por mais simples que possa parecer, poderá ser necessário fazer inalação, a utilização de fármacos e soro. O correto é procurar ajuda médica e não se automedicar sem saber de fato o que se tem”, alerta a enfermeira.

Quem tem doenças respiratórias como asma e renite deverá tomar mais cuidado. “A casa está mal arejada, muitos tapetes, cortinas que potencializam a poeira, objetos de pelúcia, brinquedos que têm mais condições de retenção de poeira. A pessoa terá um facilitador para poder desencadear problemas respiratórios com maior intensidade, como renite, sinusite, asma”, esclarece Viviane.

Uma maneira eficaz para amenizar o surgimento dos problemas respiratórios é expor os objetos ao sol. A especialista aponta que “o que causa o processo inflamatório e infeccioso alérgico são os ácaros. Quando é colocado um tapete, coberta ao sol, ele diminui ou deteriora o processo infeccioso também”.

Acadêmicos que moram sozinhos, por exemplo, não têm o hábito de trocar o lençol da cama semanalmente. Deixando lençóis e fronhas por um período muito longo, as chances de pegar algum vírus são maiores. “Colocar lençóis e colchão ao sol também é uma ótima sugestão. Tomar muito líquido também ajuda. É muito importante tomar água, pois expectora. Então, aquele catarro, secreção no pulmão que pode estar preso, se solta com mais facilidade. E não tomar nenhum medicamento sem receita médica”, destaca a professora Viviane Carrasco.

Qualquer alteração no sistema respiratório, a pessoa deve procurar um médico especialista. Pode ser tanto uma coisa simples, fácil de ser resolvido, quanto algo que exija um tratamento prolongado, com maior atenção. [WD]

Comentários

UNIGRAN - Centro Universitário da Grande Dourados
FONE: (67) 3411-4141 / Fax: (67) 3411-4167
Rua Balbina de Matos, 2121 - Jd. Universitário
CEP: 79.824-900 - Dourados/MS
Todos os Direitos Reservados

Baixe os apps Unigran