05/04/2012 13:46

O verdadeiro significado da Páscoa ou “Pesáh”

A Páscoa tem algum significado mais relevante do que o comércio dos ovos de chocolate? De fato, qual é o verdadeiro significado da Páscoa? A celebração da Páscoa é uma celebração de fé e foi realizada pela primeira vez no Egito quando o povo hebreu ainda vivia sob o governo opressivo de Faraó. Moisés um líder do povo hebreu, após insistentes tentativas, procurou em vão que o Faraó deixasse os Hebreus saíssem da escravidão no Egito. Mesmo com os sinais e prodígios, manifestados nas 09 pragas realizadas pelo Deus Javé sobre os deuses do Egito, o coração de Faraó não cedia de forma alguma. O último e terrível sinal seria a morte dos primogênitos do Egito. O Deus Javé, institui através de Moisés a celebração pascal como marco de fé para a libertação do Egito e de seus sofrimentos e desesperanças. A celebração pascal consistiria em um jantar em família, que comeria um cordeiro em companhia de vizinhos e amigos, onde um cordeiro seria imolado, assado e comido com outros alimentos memoriais, como o pão sem fermento e com ervas amargas. O principal marco para esta celebração era a pintura dos batentes das portas das casas dos hebreus com o sangue do cordeiro sacrificado. Esta marca faria com que o anjo de Deus saltasse, pulasse, (na língua hebraica a palavra é “pesah”) aquela casa marcada pelo sangue do cordeiro, livrando-a da morte de seu primogênito. Era um sinal de fé. Era um marco de substituição, ou seja, um ser já havia morrido e, portanto, não justificaria outra morte naquela casa. A páscoa ou “pesáh” foi celebrada em muitas situações históricas do povo hebreu e ganhava maior sentido quando atravessava, em sua história, opressão imposta por outras nações, a saber: Assíria, Babilônia, Pérsia, Grécia e Roma. Foi em tempos de opressão e ocupação territorial romana que Jesus e seus discípulos celebraram a páscoa. O valor da páscoa no cristianismo é que Jesus assumiu a libertação para toda opressão pelo poder de seu sangue: o sangue do cordeiro imaculado e sem defeito. Foi na celebração da páscoa que Jesus assumiu ser o Cordeiro de Deus, para que por seu sangue vertido na cruz do Calvário houvesse libertação e uma vida de liberdade e esperanças. Uma aliança em seu sangue marcaria, pela fé, a vida e a casa de todo aquele que crê e aceita sua entrega de amor para o perdão dos pecados. Por isto, os símbolos e a memória da páscoa são tão importantes para dar sentido à fé cristã. É importante nos dias de hoje refletir sobre os símbolos da páscoa e renovar o sentido da fé em Jesus Cristo, o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. * Sérgio Nogueira - Mestre em Ciências da Religião pela UMESP, pastor da Igreja Batista Memorial em Dourados e Coord. Bacharel em Teologia a Distância da UNIGRAN
Comentários

UNIGRAN - Centro Universitário da Grande Dourados
FONE: (67) 3411-4141 / Fax: (67) 3411-4167
Rua Balbina de Matos, 2121 - Jd. Universitário
CEP: 79.824-900 - Dourados/MS
Todos os Direitos Reservados

Baixe os apps Unigran