22/10/2008 14:36

Jornada de Biomedicina da UNIGRAN debate ciência e tecnologia.

Palestrantes debatem na Jornada as mais novas experiências tecnológicas na área da saúde em busca da qualidade de vida da população.
“A ciência e a tecnologia em prol da saúde: uma atuação multidisciplinar” é o tema debatido durante a VI Jornada Acadêmica de Biomedicina da UNIGRAN, aberta nesta terça-feira, 21 de outubro. “Prevemos, para a Jornada, grandes debates entre os profissionais e acadêmicos no processo de formação continuada, como garantia de serviços de saúde cada vez melhores para a população”, disse a coordenadora do ID_CURSO, Valdelice Burgos. Na cerimônia de abertura, estiveram presentes a pró-reitora de ensino e extensão, Terezinha de Lima Bazé, a diretora da Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde, Adriana Mestriner de Melo, e a acadêmica Aline Amarílio Gomes, representante discente da Comissão Organizadora da Jornada. A professora Bazé destacou a interdisciplinaridade nos ID_CURSOs da UNIGRAN, especialmente, na área de Saúde. “A Faculdade da Saúde é a maior que temos, com 10 ID_CURSOs, formação multidisciplinar e generalista e com grande suporte na pesquisa e atividades de extensão, garante aos futuros profissionais a vocação para as carreiras específicas”, disse a pró-reitora. Com uma programação diversificada, que se compõem de 12 palestras, quatro mini-ID_CURSOs, exposições de trabalhos acadêmicos e mesa-redonda, e encontro de egressos; profissionais das áreas da Biomedicina, Farmácia, Ciências Biológicas e da Medicina integram o ciclo de palestrantes do evento. A primeira temática tratada na Jornada, “Microbiologia de águas”, foi tratada pelo biomédico José Rinaldo Barreto Júnior, que destacou a importância da análise da qualidade da água e as ações interferentes do homem sobre os reID_CURSOs hídricos. O palestrante destacou que a água é fundamental para a sobrevivência e o equilíbrio de toda a natureza e do planeta. Sua importância faz com que hoje ela seja uma preocupação mundial diante das ameaças da poluição, do uso insustentável, das mudanças climáticas, das mudanças no uso do solo e do risco de escassez. Mas nem todos têm essa consciência, especificamente nas regiões que ainda não sofreu conseqüências. “É preciso garantir a qualidade desse reID_CURSO vital, para que todos tenham acesso à água adequada para suas necessidades básicas”, adverte o biomédico. José Rinaldo aponta que pesquisas do Ministério da Saúde revelam que entre 80% e 90% das internações hospitalares no país provêm de situações relacionadas à contaminação da água, que contém mais de 200 ID_TIPOs de bactérias, vírus e parasitas, sendo que somente uma análise laboratorial pode detectar contaminações da água, para aplicar ações técnicas que revertam esse quadro e garanta a qualidade de vida. Entretanto é necessária a colaboração da população, dos empresários, para evitar a poluição dos rios. Saúde Pública O palestrante observou que um fato preocupante – e que já foi denunciado pelo Hospital de Câncer de Barretos (SP) – é que grande parte das ocorrências de câncer em Dourados pode ter relação com a contaminação da água servida em Dourados por agrotóxicos lançados nas lavouras da região. Esse hospital atende a inúmeros pacientes de Dourados. Intrigado com essa hipótese, o palestrante está desenvolvendo pesquisas de doutorado, na Espanha, para averiguar o grau de contaminação da população devido à poluição química detectada na água e suas prováveis relações com os diversos ID_TIPOs de câncer. José Rinaldo disse que pretende propor um projeto à Câmara Federal, para se diminuir os índices desse ID_TIPO de resíduo nos rios, e que a lei seja mais rigorosa, a exemplo do que acontece na Europa. O primeiro ciclo de palestras da Jornada Acadêmica encerrou com a temática “Marcadores de hepatites virais”, com o médico Fábio do Carmo Luciano, que debateu com os profissionais e acadêmicos as novas tecnologias presentes no mercado para identificar a doença. ID_TIPOs de exames também foram abordados, de modo específico nas hepatites A, B, C, D e E. O médico apresentou que no país cerca de 2% da população possui os ID_TIPOs mais preocupantes – B e C – transmitidas pelo sangue ou secreções do organismo, como o contato sexual. Dourados também apresenta esse índice, e segundo ele, pelo menos 4 mil pessoas tem a doença. O médico explica que as hepatites são doenças infecciosas que levam à inflamação do fígado, podendo causar a morte. Nem sempre a pessoa que está com hepatite apresenta sintomas como pele amarela, urina escura e as fezes brancas. Em muitos casos ela é “silenciosa” e, muitas vezes quando diagnosticada, o fígado já está comprometido, dificultando a recuperação do paciente. A Jornada Acadêmica vai até sexta-feira (24). No último dia haverá a mesa-redonda com os egressos, para se discutir o mercado de trabalho na área da Biomedicina, com relatos dos profissionais formados na UNIGRAN. (FV-JR)
Comentários

UNIGRAN - Centro Universitário da Grande Dourados
FONE: (67) 3411-4141 / Fax: (67) 3411-4167
Rua Balbina de Matos, 2121 - Jd. Universitário
CEP: 79.824-900 - Dourados/MS
Todos os Direitos Reservados

Baixe os apps Unigran