28/10/2004 14:32

Público do "II Ciclo de Palestras" de Administração e Contábeis supera expectativas.

Desenvolvimento regional sustentado na agroindústria foi o principal tema econômico do evento que reuniu professores e acadêmicos de cinco ID_CURSOs.
O II Ciclo de Palestras da Faculdade de Ciências Administrativas e Contábeis da UNIGRAN teve uma participação de público quase 75% maior do que o esperado: os 850 participantes superaram a previsão dos organizadores, que era de 500 inscrições. A qualidade das palestras e a temática do evento – que congregou os ID_CURSOs de graduação em Administração de Empresas, Administração do Agronegócio e Ciências Contábeis, e os seqüenciais, de Gestão Imobiliária e de Manejo e Nutrição Animal – foram os principais atrativos para o público acadêmico. O professor Marcelo Ioris Koche, diretor da Faculdade de Ciências Administrativas e Contábeis, disse que as escolhas das palestras visaram a desenvolver análises mais aprofundadas sobre os potenciais econômicos do agronegócio de Mato Grosso do Sul que, conforme observou, interessa a todas as outras atividades econômicas. Para ajudar no desenvolvimento de capacidades humanas, o programa do evento incluiu palestras motivacionais. “Buscamos englobar os temas motivação, empreendedorismo e as tendências do agronegócio dada às características da nossa região; então, nós buscamos aliar, nesse Ciclo, tanto palestras técnicas como também palestras motivadoras que servem a qualquer profissão”, falou o professor. Já na abertura do Ciclo de Palestras, o reforço da motivação para o empreendedorismo foi marcante na palestra “Sucesso é uma Escolha: motivação e sucesso profissional”, com o professor Silas Marques de Oliveira, consultor de renome na área de reID_CURSOs humanos. Ele defende que o êxito de um profissional ou de uma empresa está na simplicidade e na descomplicação dos processos, mas, ao mesmo tempo, também devem apresentar qualidades que os diferenciem dos outros. “Têm que ser simples, mas que chamem a atenção pela diferença; pessoas simples, profissionais simples, empresas simples serão os vencedores”, sustenta. A abordagem de temas relacionados à formação humana do empreendedor incluiu a inovadora proposta do palestrante Rogério Soares, que combina, em sua “Palhestra: responsabilidade com a própria vida”, traços de seu perfil profissional de publicitário, ator, diretor e escritor teatral. Nas discussões de alternativas de desenvolvimento sustentável, a questão nuclear foi o debate em torno da agroindústria que, na opinião de analistas, precisa se fortalecer na região de Dourados e do Estado. “Não encontramos no mercado uma marca de margarina produzida em Mato Grosso do Sul”, ponderou o coordenador de Administração do Agronegócio, professor Euclides Maranho, em relação ao fato de MS ser um dos maiores produtores e exportares de soja, a matéria-prima mais utilizada no país para a fabricação de margarinas e óleo comestível. “O grão produzido aqui, vai gerar riquezas em outros Estados”, disse Maranho, para quem a expansão da agroindústria representa a agregação de valores à produção primária e o aumento de empregos e de renda. Ambos os palestrantes que enfocaram o tema “agronegócio” foram destaques no Encontro nacional da Agroindústria, realizado em agosto, em Salvador, Bahia. O desenvolvedor de negócios logísticos Glauber Luiz Della Giustina, representante uma empresa responsável pela logística de atuação de grandes grupos empresariais no mercado, discutiu questões de estratégias de distribuição de produtos, nas cadeias cliente-fornecedor, padronização de embalagens e apontou que existe um “estrangulamento logístico”, no Brasil, que demanda investimentos governamentais em infraestrutura. Já o professor-doutor Mário Otávio Batalha, na palestra “Gestão Agroindustrial: reflexões para o desenvolvimento agroindustrial sustentado”. Professor na Universidade Federal de São Carlos, SP, e autor de livros como “Gestão Agroindustrial: grupo de Estudos e Pesquisas Agro-Industriais” (Atlas, 1.997) e de “A Pequena e Média Indústria em Santa Catarina” (ed. UFSC), o professor Batalha abordou o agronegócio como instrumento de desenvolvimento local, operado por uma rede de agentes econômicos. Ou seja, o desafio do agronegócio é o gerenciamento de sua cadeia produtiva, no sentido de se aumentar a eficiência e gerar o desenvolvimento, sustentado sobre três pilares. “A sustentabilidade de qualquer processo desenvolvimentista tem que ser uma sustentabilidade econômica: as pessoas têm que ganhar dinheiro com isso; tem que haver desenvolvimento social: não basta gerar renda, gerar riqueza na região, é importante que essa riqueza esteja distribuída entre a população local; e o desenvolvimento sem sustentabilidade ambiental é impensável hoje em dia”, definiu o professor.
Comentários

UNIGRAN - Centro Universitário da Grande Dourados
FONE: (67) 3411-4141 / Fax: (67) 3411-4167
Rua Balbina de Matos, 2121 - Jd. Universitário
CEP: 79.824-900 - Dourados/MS
Todos os Direitos Reservados

Baixe os apps Unigran