Estocagem de grãos interfere na qualidade alimentar animal

Profissionais da medicina veterinária e da agronomia são os palestrantes do I VetAgro da UNIGRAN
Mato Grosso do Sul está entre os principais estados que se destaca no manejo nutricional de animais por ser grande produtor de grãos e dominar tecnologia de produção. No entanto um dos fatores que vem preocupando especialistas da área é a qualidade da matéria prima que sofre interferência do processo de estocagem a industrialização. Esse assunto foi levantado durante o I VetAgro – simpósio promovido pelos ID_CURSOs de Medicina Veterinária e Agronomia da UNIGRAN. Com o tema “Manejo nutricional de animais de produção”, toda a logística desde o processo de produção até a transformação dos grãos, bem como o manejo de animais de espécies bovina, equina, suína e aves estão sendo debatidos no encontro. O alerta sobre a estocagem foi feito pelo médico veterinário da Brasil Foods, Lucas Pedroso Colvero. Ele explica que a produção excessiva de grãos tem feito com que o milho, por exemplo, produto principal da alimentação do frango, tenha ficado fora dos silos de grãos. “Isso aconteceu no ano passado e tudo indica que neste ano teremos superprodução”, disse o médico veterinário. A matéria prima quando recebe interferência climática perde proteína e interfere na qualidade da ração. O resultado desse processo atinge diretamente o frango que não desenvolve por não obter peso alimentar. Lucas Colvero pontua que o estado tem os principais requisitos para competir com a região sul, que concentra maior parte da produção de avicultura do país. A grande produção de grãos de Mato Grosso do Sul e a mão de obra qualificada que sai das universidades são processos essenciais, de acordo com ele, para a evolução desse setor. Contudo falta investir em qualidade. Outro fator que também dificulta o desenvolvimento do setor no estado é o transporte da matéria prima à exportação. O escoamento é feito principalmente ao porto de Itajaí, em Santa Catarina. “Temos de tudo para se destacar no mercado, mas é preciso, ainda, muito investimento para garantir a qualidade da matéria prima”, disse o palestrante. Ele destacou a realização do evento por oportunizar que acadêmicos possam conhecer melhor o manejo nutricional de animais. “Ainda há poucos profissionais no estado que se dedicam a essa área. Aquele que se especializar com certeza encontrará boas oportunidades de trabalho”, disse aos estudantes e profissionais que compareceram no evento. A criação de suínos também não é diferente da produção de manejo nutricional das aves. O cuidado com a alimentação do animal é fundamental para o seu processo de cria e engorda. O médico veterinário da Douramix Nutrição Animal Ademir Sulzbacher Wilhelm foi o segundo palestrante do VetAgro. Ele falou que a atividade suinocultura do estado é dotada de alta tecnologia e as granjas não deixam a desejar se comparado a região sul do país. Ademir trouxe como preocupação os cuidados que os produtores devem ter com os dejetos dos suínos, considerados poluidores ao meio ambiente. “Existe tecnologia para garantir a sustentabilidade e assegurar que o animal tenha segurança alimentar”, disse ele. O médico veterinário falou também sobre os avanços do setor. “Todo o investimento no processo de produção é para garantir bem-estar ao animal e qualidade de um produto na mesa do consumidor”, garantiu. A VetAgro conta com uma programação que envolve todo o processo de manejo de produção alimentícia de bovinos, equinos, suínos e aves. Médicos veterinários e engenheiros agrônomos são os palestrantes do evento. A Programação reúne acadêmicos e profissionais nesta quinta e sexta-feira no salão de eventos UNIGRAN, nos períodos da manhã e tarde. (FV)

UNIGRAN - Centro Universitário da Grande Dourados
FONE: (67) 3411-4141 / Fax: (67) 3411-4167
Rua Balbina de Matos, 2121 - Jd. Universitário
CEP: 79.824-900 - Dourados/MS
Todos os Direitos Reservados

Baixe os apps Unigran