Palestras da Semana de Biomedicina enfocam a saúde e o ensino.

Profª Valdelice Burgos, primeira palestrante, e o acadêmico Ricardo Oliveira, do C.A. de Biomedicina, envolvido na organização do evento.
A coordenação do ID_CURSO de Biomedicina da UNIGRAN realizou a sua V Semana Acadêmica com o tema “Saúde e ensino: unidos para o benefício da comunidade”, com palestras Anfiteatro do Bloco I da Instituição e mini-ID_CURSOs. A coordenadora do ID_CURSO de Biomedicina, Valdelice Oliveira Burgos, abriu o evento com a palestra “Análise bioquímica e histopatológica do fígado e do pâncreas em modelos experimentais de camundongos mus musculus infectados por trypanossoma cruzi”. Segundo ela, o objetivo da palestra foi mostrar aos acadêmicos as etapas de um trabalho científico e os experimentos bioquímicos que podem ser feitos em laboratórios comuns. “Foi feita uma análise de duas ceifas de uma mesma linhagem de trypanossoma cruzi, para observar as alterações que esse agente infeccioso causa no modelo experimental”, afirmou. A professora disse ainda que o pâncreas e o fígado são órgãos de importância vital para o organismo. De acordo com a biomédica Natália Garcia Prado Nogueira, que falou sobre “Resistência bacteriana e antifúngica”, a palestra buscou mostrar para os alunos a área atual da Biologia que envolve a microbiologia, a parte de diagnóstico laboratorial, e a parte de biologia molecular. “Com o advento de doenças como, por exemplo, a AIDs e o câncer, o uso indiscriminado de drogas está selecionando microorganismos mais resistentes”, declarou. Ela falou ainda que cabe aos pesquisadores descobrir novas drogas e extratos vegetais com efeito eficaz. A palestrante é graduada na modalidade médica de Ciências Biológicas, pelo Centro Universitário Barão de Mauá, especialista em Análises Clínicas, e Micologia Clínica e Laboratorial, e mestre em Biotecnologia de Plantas Medicinais e Microorganismos. Conforme a dentista Tatiana Robaina Alva, que ministrou palestra sobre “Diagnóstico clínico em AIDs”, o objetivo do encontro foi oferecer uma visão geral dessa epidemia e alertar para a grande incidência ainda de contaminação. “Diagnóstico clínico são métodos padronizados, protocolados e indicados pelo Ministério as Saúde, que nós devemos usar para descobrir se um paciente é soropositivo para o vírus HIV”, disse ela. A palestrante é graduada em Odontologia pela Universidade Federal de Pelotas, mestre em Patologia pela Universidade Federal Fluminense e colaboradora da Fundação Osvaldo Cruz. A reitora da UNIGRAN, Rosa Maria D’Mato De Déa, fez a abertura solene do evento, sendo que a coordenadora da Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde da UNIGRAN, Adriana Mary Mestriner, os representantes do Centro Acadêmico de Biomedicina da UNIGRAN, Juliana Bento de Andrade e Ricardo de Souza Oliveira, além dos palestrantes, compuseram a mesa de abertura. (BD)

UNIGRAN - Centro Universitário da Grande Dourados
FONE: (67) 3411-4141 / Fax: (67) 3411-4167
Rua Balbina de Matos, 2121 - Jd. Universitário
CEP: 79.824-900 - Dourados/MS
Todos os Direitos Reservados

Baixe os apps Unigran