PROJETOS

Odontologia UNIGRAN na Estratégia de Saúde da Família

As diretrizes curriculares atuais, propostas pelo Ministério da Educação para os cursos de Odontologia, recomendam que a formação do futuro profissional odontólogo se fundamente no desenvolvimento de um Cirurgião-Dentista "generalista", habilitado tanto para as atividades técnicas, baseadas em evidências científicas, quanto para as atividades de promoção e prevenção da saúde.

Assim, é de competência das instituições de ensino desenvolver atividades práticas que complementem o aprendizado teórico e que apresente a realidade dos serviços de saúde pública ao acadêmico de Odontologia, a fim de que o aluno esteja preparado para raciocinar criticamente sobre os problemas sociais de sua comunidade.

De igual modo, a Política Nacional de Saúde Bucal (MS, 2004) tem priorizado os serviços de atenção básica em Odontologia, realizados dentro das Equipes de Saúde Família, como meio de atender mais pessoas, solucionar grande parte dos problemas bucais dos brasileiros e aproximar o cirurgião dentista da população.

Desde que foi instituída no contexto do SUS, em 1994, a Estratégia de Saúde da Família (ESF) tem propiciado a aproximação dos profissionais de saúde às iniqüidades sociais do país e reorientado o processo de trabalho para que seja realizado de modo intersetorial e multidisciplinar. Portanto, a ESF constitui um excelente espaço de aprendizado técnico e humanizado para o acadêmico de Odontologia com formação generalista.

Assim, através de um acordo co-participativo entre a UNIGRAN e a Secretaria Municipal de Saúde Pública de Dourados, os alunos de Odontologia serão inseridos nas Equipes de Saúde da Família para desempenhar horas de estágio observacional nos consultórios odontológicos e participar das visitas domiciliares e atividades de educação em saúde bucal realizadas pelos agentes comunitários de saúde, auxiliares de consultório odontológico e cirurgiões dentistas.

Educação Popular em Odontologia

Segundo o Ministério da Educação, o aluno do curso de Odontologia deve ser habilitado não só para realizar atividades técnicas com destreza, mas, também deve estar apto a realizar atividades de promoção da saúde e prevenção das doenças, dentro das quais se incluem as iniciativas de educação na comunidade sobre assuntos de saúde.

A aparência e finalidades das atividades de educação em saúde têm sido influenciadas pelas mudanças ocorridas nos processos pedagógicos e se adaptado às mudanças de pensamentos ocorridas no setor saúde.

Tradicionalmente, as escolas de Odontologia no Brasil preconizam que seus acadêmicos realizem atividades educativas de saúde bucal. Porém, tais atividades são baseadas nos modelos tradicionais de educar, onde o conhecimento científico prevalece e é repassado à comunidade sem considerar seus anseios e autonomia.

Sabe-se que tal modelo de educação em saúde é frágil e não tem alcançado os objetivos almejados por aqueles que o praticam. A elevada prevalência de edentulismo total entre os idosos (cerca de 60%) e de cárie (quase 70% das crianças brasileiras de 12 anos apresentam pelo menos um dente permanente com experiência de cárie dentária) (MS, 2005) são exemplos da fragilidade das atividades educativas em saúde bucal que vêm sendo realizadas no Brasil.

Assim, têm-se buscado alternativas para educar os sujeitos de uma comunidade de modo sólido e co-participativo. E, nos últimos anos, muito se tem estudado sobre novas metodologias baseadas no diálogo que possam superar as dificuldades da comunidade em aproveitar o conhecimento científico em benefício de sua própria saúde, e, mais do que isto, meios através dos qual a população possa dividir o conhecimento popular sobre as doenças e seus tratamentos com aqueles que desejam promover a saúde.

A Política Nacional de Saúde Bucal (MS, 2004) prioriza os serviços de atenção básica em odontologia realizados dentro das Equipes de Saúde Família como meio de atender mais pessoas, solucionar grande parte dos problemas bucais dos brasileiros e aproximar o cirurgião dentista da população.

Desde que foi instituída no contexto do SUS, em 1994, a Estratégia de Saúde da Família (ESF) tem propiciado a aproximação dos profissionais de saúde às iniqüidades sociais do país e reorientado o processo de trabalho para que seja realizado de modo intersetorial e multidisciplinar. Portanto, a ESF constitui um excelente espaço de aprendizado em educação em saúde para o futuro egresso de Odontologia.

Assim, através de um acordo co-participativo entre a UNIGRAN e a Secretaria Municipal de Saúde Pública de Dourados, os alunos de odontologia serão inseridos nas Equipes de Saúde da Família do bairro Vila São Braz para participar das visitas domiciliares realizadas pelos agentes comunitários de saúde, auxiliares de consultório odontológico e cirurgiões dentistas e desempenhar atividades de educação em saúde.

Atuação da Faculdade da Saúde no Dia da Responsabilidade Social

A Associação Brasileira de Mantenedores do Ensino Superior instituiu o Dia Nacional da Responsabilidade Social do Ensino Superior Particular como um dos caminhos para informar a sociedade e ao governo a grande importância do Ensino Superior particular e demonstrar, com fatos e números, que as Instituições de Ensino Superiores Particulares vêm cumprindo com as funções para as quais foram criadas.

A Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde acredita na proposta como forma de divulgar o conceito ampliado de saúde, conscientizando os participantes de que precisamos cuidar de vários aspectos relacionados a saúde humana (ambiente, mente e fisiologia propriamente dita).

Hoje é dia de sorrir: comemoração ao dia do Cirurgião-Dentista

Os acadêmicos do 2º e 4º semestres de Odontologia estão em processo de desenvolvimento das competências e habilidades gerais e, também, das técnicas específicas e inerentes à profissão.

Justifica-se o desenvolvimento de projetos de extensão com o objetivo de oferecer ao acadêmico vivência prática dos conteúdos aprendidos e contato direto com a realidade de sua futura profissão.

O desenvolvimento deste projeto propiciará a integração entre os conteúdos das disciplinas estudadas, bem como a integração entre acadêmicos e professores.

Além disso, o acadêmico desenvolverá a habilidade de comunicação e argumentação através das apresentações às crianças. Lembrando que nesta faixa etária inicia-se a troca de dentição, as crianças apresentam dentição mista, fase ideal para reforçar a necessidade de cuidados com a higiene oral e hábitos alimentares.

Clínica de Promoção em Saúde Bucal em Comunidades Indígenas de Dourados -MS

A assistência à saúde no Brasil é hierarquizada segundo níveis de complexidade. Os problemas de saúde bucais mais prevalentes (cárie e doença periodontal) são resolvidos no primeiro nível de atenção à saúde, a Atenção Básica. Fazem parte das atividades de atenção básica a promoção da saúde (incluindo as atividades educativas), prevenção das doenças, tratamento e reabilitação dos doentes (MS, 2006).

Todos os serviços públicos de saúde seguem a lógica dos princípios e diretrizes do SUS (MS, 1990) tais como integralidade de assistência, humanização, participação social, capacitação profissional para atuar de modo intercultural.

Pensando sob o foco dos princípios constitucionais do SUS, a disciplina de Educação em saúde bucal do curso de odontologia elege a comunidade indígena residente no município de Dourados - MS como alvo de ações de saúde bucal educativas, promotoras de saúde e reabilitadoras.

A OMS (1994) recomenda que o tratamento da cárie possa ser executado de modo mais abrangente a fim de que os países consigam a médio e longo prazo diminuir a prevalência de edentulismo. Como modo de ampliar o tratamento da doença cárie, a OMS também sugere que os países possam adotar o Tratamento Restaurador Atraumático (ART) como tratamento definitivo, baseado no conhecimento atual da doença, de modo barato, seguro e eficaz a populações.

Sabe-se, por dados informais, que o CPOD médio aos 12 anos na comunidade indígena em muito se alterou entre os anos de 2000 e 2007. Porém, isto não significa que todas as crianças estão livres da doença cárie. Ao contrário, a doença ainda persiste em determinadas faixas etárias, a demanda é elevada e o edentulismo entre adolescentes é comum.

Assim, propõe-se que os alunos sejam incluídos em atividades que possam prevenir e tratar desta doença de modo resoluto através do ART, e o percentual de adultos e adolescentes edêntulos sejam diminuídos em longo prazo na comunidade indígena de Dourados - MS.

O ambiente escolar foi escolhido para a realização das atividades visto que é de fácil acesso e a concentração da população que necessita e cuidados são elevados. Por outro lado, as famílias indígenas das aldeias em questão distribuem suas residências de modo esparso o que poderia dificultar a locomoção dos acadêmicos, caso fosse priorizado o atendimento familiar. Porém, não se pode esquecer que o núcleo familiar é importante como meio favorável, ou não, à permanência das doenças bucais. Portanto, sugere-se que, pelo menos as famílias com crianças ou adolescentes de alto risco de cárie sejam visitadas pelos alunos (uma visita/mês) a fim de que estes conheçam a dinâmica das famílias indígenas.

Convênio UNIGRAN - FUNASA (Fundação Nacional de Saúde) - Atendimento Odontológico à População Indígena

Instituído no 1º semestre de 2009, o Convênio UNIGRAN - FUNASA (Fundação Nacional de Saúde) para o atendimento odontológico da população indígena das aldeias da região da Grande Dourados será realizado na Disciplina de Clínica de Promoção em Saúde Bucal (ofertada no 4º semestre do curso) onde os acadêmicos realizarão atendimentos de ART (tratamento restaurador atraumático), aplicação tópica de flúor, bochechos e atendimento educativo em 12 consultórios portáteis volantes nas aldeias amparadas pela FUNASA.

Outros procedimentos como exodontias simples, raspagens supra e subgengivais, urgências, prevenção e dentística restauradora serão realizados na Clínica de Atenção Básica (ofertada no 5º semestre do curso). Já o tratamento mais complexo, como exodontias mais complexas, Periodontia, Endodontia, Prótese Fixa e Dentística Restauradora serão realizados na Clínica Odontológica Integrada I (6º semestre do curso).

O Curso de Odontologia da UNIGRAN oferece atendimento aos pacientes indígenas na Clínica Odontológica Integrada I e II por um período (13:30h às 17:00h) por acadêmicos do 6º e 7º semestres. Para o atendimento nas aldeias amparadas pela FUNASA, o atendimento volante será realizado pelos acadêmicos do 4º semestre às quartas-feiras (07:30h às 11:00h) na Disciplina de Clínica de Promoção em Saúde bucal.

Ficou também estabelecida a parceria da UNIGRAN realizar exames radiográficos eventualmente solicitados pela FUNASA para diagnóstico, a serem realizados pelos acadêmicos do 5º e 6º semestres nas dependências da UNIGRAN.

JOGRAN (Jornada Acadêmica de Odontologia e Jornada de Odontologia da Grande Dourados)

A produção do saber pela Instituição potencializa as forças produtivas e criativas da sociedade e consolida sua presença no cenário regional. A assimilação e a adaptação de conhecimento disponível é um ingrediente de crescente relevância em qualquer processo de desenvolvimento. Fundamentado nesse contexto, o Curso de Odontologia da UNIGRAN realiza anualmente um grande evento unindo a Jornada de Odontologia da Grande Dourados e a Jornada Acadêmica de Odontologia da UNIGRAN, trazendo renomes nacionais da Odontologia, oriundos de Universidades e Centros de Pesquisa conhecidos internacionalmente.

O evento é promovido pelos Acadêmicos do Curso de Odontologia do Centro Universitário da Grande Dourados - UNIGRAN que fazem do mesmo não somente um instrumento de aprendizagem, mas o primeiro grande desafio no compromisso ético de todo profissional colaborar pelo crescimento da Odontologia.

Objetivos:

- Congregar acadêmicos, professores, pesquisadores e profissionais Cirurgiões-Dentistas do estado de Mato Grosso do Sul, estados e países vizinhos, a fim de conhecer, estudar e discutir os avanços técnico-científicos na área da Odontologia;

- Integrar as universidades, acadêmicos e profissionais com os segmentos ligados à Odontologia como empresas, entidades de classe e associações;

- Promover a educação continuada e o estímulo à investigação científica como instrumento na melhoria da qualidade dos serviços e valorização da classe odontológica;

- Propiciar aos acadêmicos o contato com professores e profissionais de outros estados e países a fim de colaborar com a definição dos rumos profissionais pós-universitários.

ENDEREÇO

R. Balbina de Matos, 2121
Jardim Universitario, Dourados - MS, 79824-010

LOCALIZAÇÃO
CONTATO

(67) 3411-4233

UNIGRAN - Centro Universitário da Grande Dourados
FONE: (67) 3411-4141 / Fax: (67) 3411-4167
Rua Balbina de Matos, 2121 - Jd. Universitário
CEP: 79.824-900 - Dourados/MS
Todos os Direitos Reservados

Baixe os apps Unigran