PALESTRAS / MINICURSOS

 

 “Brinque, jogue, cante e encante com criatividade e dinamicidade na Educação”

Palestrante: Prof. Ms. Hani Awad

 

Nesta palestra busca-se despertar nos participantes para a importância e o potencial educativo das atividades lúdicas, jogos e atividades recreativas como elementos contribuintes no processo de ensino/aprendizagem. Ainda estimula-se a formação de profissionais arrojados, criativos e dinâmicos, os capacitado para utilização de estratégias lúdicas como ferramenta pedagógica, artística e educacional no âmbito escolar.

 

 

 

 

 

A arte na educação moderna e contemporânea.

Profa. Livre-docente Rosa Iavelberg

 

A palestra trata da dinâmica existente entre a arte-educação modernista e a pós-modernista para explicitar o quefoi preservado, transformado, inovado ou superado no diálogo entre os dois tempos. Outros aspectos serão tratados com a finalidade de contextualização das duas concepções em questão, por serem temas fundamentais à arte-educação em nosso país, quais sejam, o currículo e a formação de professores de arte, que são regulados  pelas orientações contemporâneas da arte, da educação e da arte-educação. Uma pequena história da arte da criança e do jovem, com imagens de suas produções artísticas ligadas ao tempo e a diferentes contextos de fatura, apoiarão nossa fala que tem como objetivo promover a compreensão sobre o aprender e o ensinar arte na escola renovada (modernista) e na construtivista (pós-modernista). Abordaremos as ideias dos pensadores da arte-educação e de seus temas fundamentais, e os antecedentes da educação modernista.

 

 

 

27/10/2016 QUINTA-FEIRA 19h15min às 22h – MINICURSOS (Audiovisual/Bloco 03 e 04)


Nise da Silveira – da “terapêutica ocupacional” à “emoção de lidar” e sua contribuição para o tratamento das psicoses.
Dr João Ezequiel Grecco e Drª Mariana Rodrigues Festucci Ferreira

Este minicurso visa abordar as contribuições da práxis de Nise da Silveira para o tratamento das psicoses enfatizando o seu aspecto inovador de humanização e democratização do acesso à saúde mental. Nise verificou que a Arte constituía um meio privilegiado para a expressão do psicótico, uma vez que não estabelecia um código formal de linguagem, deixando o cliente livre para expressar-se segundo as suas possibilidades. A partir do momento em que o psiquismo dos clientes era acessado por meio da expressão e que eles podiam tomar certa distância do caos interior alcançando certa estabilidade psíquica, isso resultava em melhora da qualidade de vida com diminuição das medicações e ressocialização. Pautado nessas concepções, o minicurso oferece uma aula teórica expositiva (com a utilização de data show); exibição de filmes (Nise – no coração da loucura e Imagens do Inconsciente – trechos) e promoção de grupos de discussão. Será fornecido referencial bibliográfico digitalizado.

Numero de Vagas: 30 participantes
Material Obrigatório: caderno e caneta para anotações.

 

 

27/10/2016 QUINTA-FEIRA 19h15min às 22h – MINICURSOS (SALA 4.1/Bloco 4)

O México de Frida Khalo: Uma abordagem Pedagógica da Diversidade e da Identidade
Profª Marisa Corrêa Penteado Leal

Este minicurso trata da prática pedagógica de duas professoras em um Centro de Educação Infantil na cidade de Dourados/MS que, de forma lúdica, apresentaram a cultura mexicana e abordaram o tema da diversidade e da identidade com crianças dos Maternais II A e B, na faixa etária de 3 a 4 anos. Sob o olhar da expressividade artística de Frida Khalo, que com maestria conseguiu registrar em suas pinturas as belezas do México e sua cultura, as crianças tiveram a oportunidade de conhecer um pouco desse país, fazendo, concomitantemente, um comparativo com a cultura brasileira. A proposta permitiu às crianças experiências e vivências diferenciadas como: culinária, brincadeiras, roupagens, decoração e teve incluso o tema: morte, assunto tratado com seriedade, mas com uma linguagem que as crianças pudessem compreender. Promovendo diferentes formas de aprendizagens é que nós, enquanto profissionais da educação, podemos/devemos possibilitar novos desafios, com ousadia e dispostos a novas experiências, para e com as crianças.

Numero de Vagas: 30 participantes

Material Obrigatório: Tesoura, lápis preto e giz de cera; Cola; Uma revista ou jornal; 02 folhas sulfite.

 

 

 

 

Aquarela em Croqui

Profª Meire Milan

 

Minicurso de colorização de croquis utilizando a técnica Aquarela, técnica muito antiga surgida, supostamente, na China há mais de 2000 anos, com qualidades intrínsecas, como uma técnica em si mesma. Os suportes utilizados na aquarela são muito variados, mas o mais comum é o papel de elevada gramatura. A partir deste conceito, o minicurso propõe a aplicação desta técnica para colorir croquis de ambientes internos e/ou externos, utilizando o lápis aquarelável e/ou a tinta aquarela, sobre o suporte de papel Canson.

 

Numero de Vagas: 30 participantes

Material Obrigatório: Croquis pré desenhados em papel Canson, Lápis de Cor Aquarelável ou Tinta Aquarela (Marca Pentel); Pincéis chatos e redondos; recipiente para água; pano para limpeza dos pincéis; caderno e caneta para anotações.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

27/10/2016 QUINTA-FEIRA 19h15min às 22h – MINICURSOS (SALA 4.3/Bloco 4)


Práticas Teatrais para a escola: Uma introdução ao Teatro do Oprimido.
Prof. Raique Moura Dias

A oficina apresenta uma abordagem introdutória às práticas do Teatro do Oprimido de Augusto Boal, voltadas para a aplicação em sala de aula. Serão abordados, de forma teórico-prática, alguns dos principais conceitos que compõe a teoria do Teatro do Oprimido, com ênfase no Teatro Imagem e Teatro Jornal. As formas propostas visam refletir com ações, jogos e práticas teatrais, sobre uma sociedade formada por opressores e oprimidos, com vistas a um trabalho de desconstrução dessa lógica. Trabalha-se, portanto, a autonomia do ser, sua capacidade crítica e sua identidade, com o objetivo de reafirmar os valores de cada indivíduo e desmontar uma lógica perversa de dominação colocada por nossa sociedade.

Numero de Vagas: 30 participantes
Material Obrigatório: roupa confortável; caderno e caneta para anotações.

 

 

27/10/2016 QUINTA-FEIRA 19h15min às 22h – MINICURSOS (SALA 4.5/Bloco 4)

 

Dança na escola: uma educação pra lá de recreativa
Profª; Artista plástica e bailarina Blanche Torres

O objetivo do minicurso é oferecer subsídios a professores e futuros professores, a partir do conceito do que é a dança, como esta linguagem artística pode ser inserida no trabalho pedagógico no cotidiano da sala de aula.

Numero de Vagas: 30 participantes
Material Obrigatório: roupa confortável; caderno e caneta para anotações.

 

 

 

 

 

Pássaros para Manoel de Barros

Profº  e Artista Plástico Jonir Figueiredo

 

Minicurso que aborda trabalhos com papelão explorando as possibilidades criativas desse material. Nesta proposta, o artista sugere meios de transformar materiais, usualmente “rejeitados”, em trabalhos artísticos, proporcionando rever e repensar conceitos por meio de cores e formas, através de suportes alternativos – os materiais simples e “rejeitados” – próprios da contemporaneidade.

 

Número de Vagas: 30 participantes

Material Obrigatório: Caixa de papelão (de todos os tamanhos);  tinta, pincel, caixa de lápis de cor e caixa de giz de cera (para uso pessoal); Papel sulfite A4 (pode ser branca ou colorido).

 

 

 

 

 

 

Pigmentos Naturais - Arte Indígena.

Profº Valdenir Martins Pontes

 

Uma das características que mais marcam a cultura indígena é a pintura corporal, tão necessária e importante esteticamente para o índio, como são as roupas usadas pelos não índios. A pintura corporal para as comunidades indígenas tem sentidos diversos que vão além da vaidade e tem o seu foco nos valores perpetuados e transmitidos através dessa arte, para a qual se utiliza pigmentos como, jenipapo, carvão, urucum, terra, cinza etc.

 

Numero de Vagas: 30 participantes

Material Obrigatório: Cola; Pincéis (de tamanho variados); Copo descartável; Suportes para a pintura: papelão, caixa de pizza, tábua de madeira, papel canson (A4), à livre escolha do participante.

 

 

 

 

 

Ginástica para o Cérebro e o Desenvolvimento Cognitivo da Criança e do Adolescente

Profª Isabela Soares e Profª Liciane Mariano

 

Neste minicurso serão utilizadas várias ferramentas, tais como o ábaco, jogos, entre outras. O ábaco é considerado um dos melhores instrumentos para estimulação cognitiva. A sua prática fortalece as células nervosas e as conexões neurais, trazendo, consequentemente, ganhos nas atividades do dia a dia, porque estimula a memória, o raciocínio lógico e a agilidade de raciocínio. Os jogos, por sua vez, estimulam os processos meta cognitivos, desenvolvendo habilidades como: raciocínio lógico-matemático, pensamento lateral, criatividade, estratégias para a tomada de decisões, capacidade de análise e síntese, competitividade e trabalho em equipe.

 

Numero de Vagas: 30 participantes

Material Obrigatório: caderno e caneta para anotações.

 

 

 

 

 

ARTE E MATEMÁTICA: uma proposta interdisciplinar

Profª  Vera Fátima Corsino de Almeida e Camila da Silva Nascimento – Aluna do 6º semestre de PEDAGOGIA

 

O minicurso propõe apresentar alguns jogos e brinquedos que podem ser construídos nas aulas de Artes e aproveitados no ensino de conteúdos matemáticos, do 1º ao 5º ano. Possibilitaremos a construção desses jogos e brinquedos no decorrer do minicurso, com recursos captados/encontrados no meio ambiente, com posterior apresentação do uso dos materiais construídos aos participantes.

 

Numero de Vagas: 30 participantes

Material Obrigatório: tesoura; cola; lápis de cor; tinta guache (6 cores diferentes); discos de pizza grande (base e tampa); fita crepe; folhas de papel sulfite.

 

 

 

 

 

 

Musicalização

Profª Ligia Meneghetti

 

Minicurso destinado aos educadores, pais e interessados na utilização da música nos variados eixos da educação. Para tanto, o publico participante é convidado a expor suas experiências e dúvidas, em uma roda de ideias, com o intuito de construir juntos novos caminhos para a fruição da musica no cotidiano escolar, estimulando, assim, uma reflexão crítica acerca das possibilidades de vivenciar a teoria/prática, na inserção da música no ambiente escolar. Nesse sentido, será dada ênfase ao uso da música como um instrumento significativo para a percepção e a conscientização ambiental/social de crianças e adolescentes.

 

 

Numero de Vagas: 30 participantes

Material Obrigatório: caderno e caneta para anotação.

 

 

 

 

AS CONTRIBUIÇÕES DA ARTERAPIA PARA A CLÍNICA DA PSICOSE.

O que Nise da Silveira tem a nos ensinar sobre as psicoses?

 

Nesta palestra serão apresentadas em linguagem acessível para estudantes e profissionais de Psicologia, Arte Educação, Pedagogia, Serviço Social, Terapia Ocupacional e demais áreas afins as abordagens da Psicopatologia Fundamental (Pierre Fédida), da Psicanálise (Freud e Lacan) e da “Emoção de lidar” (Nise da Silveira) para um tratamento possível das psicoses, enfatizando as conexões que elas guardam entre si e as inovações que Nise introduz com sua estratégia humanizada de atenção à saúde mental em período anterior a introdução da Reforma Psiquiátrica, Luta Antimanicomial e implantação do SUS no Brasil.