Atualizações de Notícias
14/05/2013
NASC proporciona atendimento interdisciplinar e ensino prático a acadêmicos

O Núcleo de Atendimento Social a Comunidade (NASC) foi criando em janeiro de 2004 com o objetivo de proporcionar formação acadêmica/prática aos estagiários do curso de Serviço Social, contemplando as diferentes formas e dimensões da realidade, e oferecendo atendimento gratuito para a população da Grande Dourados.

As ações são voltadas a pesquisa-ação sem perder de vista o significado social da comunidade, priorizando o desenvolvimento de alternativas para o enfrentamento das diversas expressões da questão social vivida pelo público. Para auxiliar no desenvolvimento do atendimento, desde 2006 o NASC conta com mais dois núcleos: o Jurídico e o de Psicologia.

Conforme esclarece a coordenadora no NASC, Alexandra Tatiane da Silva, “o atendimento é totalmente gratuito e vem para contemplar e proporcionar o estágio para alunos do curso vivenciarem a realidade, pondo em prática o que aprenderam em sala de aula. Fazemos o atendimento com pessoas com dependência química, mulheres com problemas no casamento, homens com uso de álcool, crianças violentadas sexualmente, divórcio, pensão alimentícia, reconhecimento de paternidade através do DNA. Todo esse processo é feito no NASC em parceria com o Núcleo Jurídico e o de Psicologia”.

O NASC conta com a parceria do Ministério Público da Defensoria e do Fórum. Alexandra informa que o NASC também conta com o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) e postos de saúde. “Mantemos contato direto com esses órgãos, pois dependendo da demanda de atendimento, o usuário é direcionado para estes centros”, afirma.

Toda a demanda do Núcleo passa primeiramente no Serviço Social. “É feito o atendimento social, aplicamos uma ficha de levantamento socioeconômico totalmente gratuito e extremamente sigiloso. Dentro dessas demandas verificamos que além da necessidade que eles [usuários] vêm em busca da Nutrição ou da Psicologia, há também a necessidade da intervenção do Serviço Social. Já o Plantão Social Jurídico, visa somente pessoas carentes que não têm condições de pagar um advogado para tratar das questões sobre pensão alimentícia, reconhecimento de paternidade, etc”, esclarece Alexandra.

A coordenadora declara que “o principal objetivo do NASC é atender toda a comunidade, e proporcionar ao acadêmico o conhecimento e a vivência. Os estagiários não atendem o paciente sem a minha supervisão. Estão sempre acompanhados para que não ocorra nenhum imprevisto ou falta de auxílio”.

Maricélia Barbosa da Silva, 30 anos, cursa o 5° semestre de Serviço Social e faz parte do NASC como estagiária há 10 meses. Para ela, a experiência tem sido prazerosa. “Associar a teoria dada em sala de aula com a prática aplicada no NASC é de extrema importância. Integrar as duas coisas é muito importante para o meu aprendizado, pois ensina como é na realidade dos atendimentos, como se comportar, como acessar a rede institucional e social, fazer os relatórios, como se dão as reuniões e as necessidades de pautas e a organização que devo ter como estagiária e como futura profissional”, destaca a aluna.

Já a acadêmica Fabiana Enéas da Silva, 26 anos, afirma que o proveito tirado a partir da vivência com o próximo é muito gratificante. “O respeito com o usuário sem preconceito, independente dos meus valores, conhecer a realidade dos usuários, identificar demandas, participar do trabalho da assistente social, com ética e envolvimento, participar das visitas, dos relatórios e pareceres sociais, são funções que exigem de um profissional bem qualificado e é isso que busco. Pretendo ajudar o próximo da melhor forma possível”, garante.

No NASC as possibilidades de aprendizado abrangem desde espaço físico para as reuniões, orientação supervisionada, a recepção do assistido, ética, organização, planejamento, o contato com outros profissionais, bem como para o desenvolvimento da interdisciplinaridade para os acadêmicos.