Atualizações de Notícias
14/05/2013
Assistentes sociais: promovendo o exercício da cidadania

Eles planejam e executam ações de políticas públicas voltadas para o bem de todos, integrando o coletivo à sociedade. O assistente social trabalha a exclusão social, acompanha, analisa e propõe novas ações para melhorar as condições de vida do cidadão. Para exercer a profissão é necessário cursar Serviço Social.

A presidente do Conselho Regional de Serviço Social (CRESS) da 21ª região do Mato Grosso do Sul, Ivone Alves Rios, explica, “assistentes sociais são profissionais que cursaram uma faculdade de Serviço Social (reconhecida pelo MEC) e possuem registro no Conselho Regional do estado em que trabalham. O profissional só poderá usar o nome da profissão após inscrever-se no Conselho, antes disso ele é bacharel e não deve se apresentar como assistente social para não ferir a legislação vigente”.

Simara Reis se formou em 2006 na primeira turma de Serviço Social da UNIGRAN. Hoje, através de um concurso público, Simara é assistente social no Hospital Universitário de Dourados. “Atuo na clínica cirúrgica e clínica médica. Faço atendimento ao público interno e externo, visito diariamente os leitos, acompanho os casos de violência, faço encaminhamento nos casos de adoção, realizo o resgate de familiares de pacientes não identificados e/ou em situações de abandono”, destaca.

De acordo com a presidente do Conselho, o profissional pode atuar em instituições públicas e privadas. “Podemos encontrar assistentes sociais trabalhando em ministérios, autarquias, prefeituras, governos estaduais, em empresas privadas, hospitais, escolas, creches, unidades de saúde, centros de convivência, movimentos sociais em defesa dos direitos da mulher, da classe trabalhadora, da pessoa idosa, de crianças e adolescentes, de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBT), negros, indígenas, em organizações não governamentais, em universidades públicas e privadas e em institutos técnico”, enumera Ivone Rios.

A profissão é regulamentada pela Lei 8662/1993 que estabelece as competências e atribuições. E, conforme a assistente social do HU, a demanda por profissionais formados em Serviço Social é crescente no país. “Para ingressar nesta carreira é preciso antes conhecer, ler a respeito da profissão, no que diz respeito a atuação profissional, mercado de trabalho, dentre outros aspectos importantes da categoria”, orienta.

As principais entidades do serviço social brasileiro são: o Conselho Federal de Serviço Social (CFESS), os Conselhos Regionais de Serviço Social (CRESS), a Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social (ABEPSS) e a Executiva Nacional de Estudantes de Serviço Social (ENESSO). “Cabe ao CFESS, na qualidade de autarquia federal pública normativa de grau superior orientar, disciplinar, normatizar, fiscalizar e defender o exercício da profissão, em conjunto com o CRESS. Estes por sua vez, são órgãos executivos de primeira instância e possuem a competência de orientar a categoria, fiscalizar, disciplinar e defender o exercício profissional”, conclui a presidente.