ISSN 2316-3992
VOLUME: 2
NÚMERO: 4
JANEIRO/JULHO 2013
TÍTULO:
A Imparcialidade como Conceito de Qualidade Jornalística
AUTOR (ES):
Michelle ROSSI, Mário Marques RAMIRES
Resumo: Este artigo demonstra que a Teoria do Espelho, primeira tentativa de explicação sobre a prática jornalística, ainda é entendimento ressignificado na contemporaneidade, tendo em vista o lançamento recente do documento "Princípios Editorais das Organizações Globo" que aponta a isenção da informação como requisito fundamental da atividade. A revalidação da teoria esvazia a dicotomia objetividade/subjetividade enquanto os discursos oficiais vêm assumindo papel de únicos fornecedores de versões acerca dos fatos por conta da imediaticidade imposta pelas rotinas produtivas das redações. Com seu uso continuado, perde-se a chance de avanço no processo de compreensão do jornalismo enquanto forma social de conhecimento.

Palavras-chave: Imparcialidade; objetividade; jornalismo; discurso oficial; rotinas produtivas.

UNIGRAN - Centro Universitário da Grande Dourados
Faculdade de Ciências Administrativas e Contábeis
Dourados - Mato Grosso do Sul - BRASIL
Todos os direitos reservados a UNIGRAN | 2014