Revista Multidisciplinar da Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde da Unigran | ISSN-1981-3775

Os artigos deverão ser enviados, exclusivamente, por email: interbio@unigran.br

ANÁLISE LABORATORIAL PRESUNTIVA DE Malassezia spp. EM AMOSTRAS DE ESCAMAS DO COURO CABELUDO OBTIDAS DE PACIENTES DE UMA CLÍNICA DE ESTÉTICA

LABORATORY ANALYSIS OF HAM Malassezia spp. FLAKES IN SAMPLE OBTAINED FROM THE SCALP IN AN ASSISTED PATIENTS IN CLINICAL A ESTHETICS

Autores:

ESPÍNDOLA, Rita de Cássia1 1; ESTOPA, Maisa Correa 2, MELO, Adriana Mestriner Felipe de 3,FRACALOSSI, Priscila Riguetti 4

Baixe o Artigo aqui (pdf)

Resumo:

A dermatite seborreica caracteriza-se por lesões eritematosas e descamativas acompanhadas ou não de prurido, sendo associada frequentemente à colonização de Malassezia furfur. Esse fungo pode ser membro da biota normal da pele e do folículo piloso nas regiões com maior número de glândulas sebáceas. A manifestação clínica é determinada sob condições que permitem a pseudo filamentação e sua proliferação pode ser maior dependendo do estado nutricional, presença de outras infecções crônicas, sudorese excessiva, temperatura elevada e fatores emocionais. Nos últimos anos, o gênero Malassezia spp. Tem sido apontado na etiologia da dermatite seborreica, fator favorecido pela ação de suas enzimas capazes de lesar a membrana celular. O objetivo do presente trabalho foi analisar presuntivamente Malassezia spp. em amostras de escamas do couro cabeludo obtidas de pacientes de uma Clínica de Estética do Centro Universitário da Grande Dourados. A pesquisa passou por análise e aprovação do Comitê de Ética (CEP-UNIGRAN). Realizou-se a coleta de placas escamativas do couro cabeludo em placas de petri estéreis e em paralelo realizou-se também a coleta pela técnica de fita adesiva. Após cultivo em meio de cultura enriquecido com lipídio, as colônias foram submetidas ao teste da catalase e diferenciação em meio acrescido com Twenn 80 para diferenciação das espécies. Das amostras analisadas, 15 amostras foram positivas para M. furfur, sendo 5 positivas para M. pachydermatis e 5 positivas para M. symbodialis. Conclui-se presuntivamente que o agente etiológico causador de dermatite seborreica mais frequente em pacientes atendidos em uma Clínica de Estética foi de M. furfur.